PIF em Gatos: o que é e como lidar com a peritonite infecciosa felina

Tudo sobre a PIF (Peritonite Infecciosa Felina) em gatos

Peritonite Infecciosa Felina ou PIF, como é conhecida, é a responsável pela maioria das mortes de gatos por doença infecciosa, o que preocupa a grande maioria dos tutores.

A PIF em gatos é causada pelo Coronavírus felino em um processo de inflamação que provoca a mutação do vírus e, consequentemente, o desenvolvimento da doença.

No entanto, embora seja uma doença fatal, não precisamos nos desesperar. O índice de desenvolvimento da PIF em gatos é baixíssimo, algo em torno de 5% dos animais infectados.

Vale ressaltar também que a doença costuma se manifestar em gatinhos com menos de dois anos. Adultos são mais resistentes, a manifestação da PIF neles ocorre geralmente em momentos de baixa imunidade.

Transmissão da PIF Felina

Normalmente, o vírus da PIF felina é transmitido pelo contato com as fezes de animais infectados, através do compartilhamento da caixa de areia, bem como a convivência em mesmo ambiente e, por consequência, a utilização dos mesmos brinquedos, tapetes, etc.

Além disso, a transmissão pode ocorrer também da mãe para os filhotes durante o período de gestação ou amamentação.

O Coronavírus, causador da PIF em gatos, é bastante sensível a desinfetantes comuns. No entanto, pode permanecer vivo por várias semanas em um ambiente úmido.

Sendo assim, uma boa dica é limpar bem um ambiente novo, em casos de mudança de residência.

Outra é aguardar pelo menos dois meses para colocar gatos novos no ambiente em que viveu um felino com a doença.

Outra é aguardar pelo menos dois meses para adotar gatos novos e colocá-los no ambiente em que viveu um felino com a doença.

Sintomas da PIF em gatos

Em primeiro lugar, é importante entender que a PIF em gatos se manifesta de duas formas: úmida (efusiva) e seca (não efusiva), sendo a primeira mais comum.

Na PIF úmida (efusiva) é acumulado um líquido na região do abdômen e tórax do felino, causado por uma inflamação nos vasos sanguíneos.

Já na PIF seca (não efusiva) são formados granulomas e necroses em vários órgãos do corpo do animal. Neste caso, os sintomas são bem variados, a depender do local onde o vírus está atuando.

No entanto, os sintomas mais frequentes em gatos com PIF são:

  • Perda de apetite;
  • Perda de peso;
  • Febre;
  • Vômitos;
  • Diarreia;
  • Desorientação;
  • Infecções oculares;
  • Dificuldades respiratórias.

Como é diagnosticada a PIF?

Para diagnosticar a PIF em gatos, o médico veterinário se baseia no histórico do animal, considerando os sintomas apresentados e os resultados de exames laboratoriais.

Entre os exames auxiliares estão o hemograma (exame de sangue), relação albumina/globulina, ultrassom e testes de sorologia.

No entanto, cabe frisar que testes sorológicos positivos para o Coronavírus não significa que o gato tem a PIF. Muitos animais convivem com o vírus sem desenvolver a doença.

Portanto, o diagnóstico preciso da PIF felina só pode ser feito através de biópsia ou necropsia.

A PIF tem cura?

Embora a ciência avance em passos largos, ainda aguardamos ansiosamente pelo dia em que nossos gatinhos possam se livrar desta doença fatal.

Infelizmente, a PIF não tem cura.

Tratamento para gatos com PIF

Mesmo que a PIF felina não tenha cura, é possível realizar tratamentos paliativos a fim de evitar o avanço da doença e prolongar a vida do animal.

Os tratamentos são feitos a base de medicamentos quimioterápicos, antinflamatórios e antibióticos.

Agora você já possui mais informações sobre a PIF em gatos. Diante de qualquer um dos sintomas ou outros não relacionados, consulte sempre um veterinário, urgente.

Quer entender como proteger seu gatinho de outras doenças e ajudá-lo a ter uma vida saudável? Confira nosso guia completo de vacinas para gatos.

Siga a Arbolez no FacebookInstagram e Twitter para acompanhar tudo sobre gatos.


Este post foi útil para você? Compartilhe em suas redes sociais para que mais pessoas saibam sobre a PIF e entendam como cuidar de gatos com responsabilidade.